segunda-feira, 18 de junho de 2012

Crônica Argumentativa - Quem está por trás da máscara?

A internet hoje em dia é uma das principais ferramentas para se montar uma amizade, grandes sites de relacionamento e compartilhamento de arquivos pessoais como o Facebook, que tem mais de 500 milhões de usuários, e esses, juntos chegam a passar mais de 700 bilhões de minutos conectados por mês, o que chega a superar o Google em acessos diários.

E o que isso significa? Que a internet hoje é simplesmente uma nova maneira de se fazer amizades? Ou que pode ser uma ferramenta de destruição de vidas pessoais? Eu digo que ambos, pois com seu principal intuito de manter uma conexão entre os usuários e deixá-los mais íntimos com compartilhamento de, não só diálogos, mas fotos e outros arquivos pessoais, a internet acabou virando um atalho para os malfeitores, simplesmente, acabarem a vida de qualquer um.

Ou seja, uma arma fatal, e que todos estão em sua mira. Quem nunca acordou para assistir o jornal da manhãzinha e deu de cara com uma notícia de um caso de violação de privacidade através da internet? Bom, eu já. E ao contrário do que alguns pensam, eu não achei nada engraçado.

A verdade é que, os chamados “heavy users”, que passam maior parte do tempo trocando qualquer tipo de informação – mesmo que seja um simples diálogo – e destruindo seu sagrado tempo de vida – e se orgulham por isso – estão mais sujeitos a terem, não só seu MSN, Orkut ou Facebook hackeados, mas sim, suas próprias vidas.

Usar redes sociais para compartilhar informações íntimas e pessoais, não é errado, porém perigoso, por isso requer segurança e cuidado.

Pois afinal, como saber quem está por trás da máscara? Ou, melhor dizendo, por trás da tela...

Vinícius de Noronha Barboza (Aluno do 8°A do CLPP) 
Lembrete: o texto acima não sofreu alterações/correções.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Resenha - Comédias para se ler na escola

O livro “comédias para se ler na escola” é um conjunto de crônicas humorísticas de Luís Fernando Veríssimo, selecionadas e organizadas por Ana Maria Machado. Nessa obra Luís expõe a sua opinião e o seu ponto de vista sobre qualquer tema, assim ele revela algumas memórias do seu tempo de criança e de adolescente. Aborda também questões sócias e um pouco de didática (português, matemática, sociologia...). O mesmo é dividido em 6 partes e contém 26 cônicas curtas.
Esse livro tem como objetivo incentivar os adolescentes a lerem mais. Na abertura Ana Maria deixa bem claro que após ler o livro ninguém vai dizer que não gosta de ler.
Cada crônica conta uma história divertida, porém há algumas que não são tão legais. As mesmas podem conter um tema extraordinário, mas, ao ler, a pessoa pode perceber que o seu conteúdo não é tão interessante. Algumas se destacam mais que as outras como: “O homem trocado”, “A foto”, “A bola”, “Sexa”, “ Rápido” e entre outras.
Esse livro pode ser passado para qualquer pessoa, não importa a idade. Mas é melhor recomendá-lo para jovens, crianças e adolescentes que não gostam de ler (ou que não tem o habito de ler), para que eles percebam que a leitura não é tão “chata” assim, pois é só entrar no mundo da imaginação que irá perceber que ler também pode se torna uma brincadeira.
Júlia Millene (Aluna do 8°B do Colégio Luz Pequeno Príncipe)