terça-feira, 10 de setembro de 2013

Um pouco sobre Coesão Textual

Um texto apresenta coesão quando há conexão e harmonia entre as partes que o compõem. Consideramos como elementos de coesão as palavras ou expressões que estabelecem a transição de idéias, os elos para criar as relações entre frases e parágrafos – pronomes, advérbios e conjunções, como mas, portanto, dessa forma, porque, uma vez que, assim,embora, apesar de, entre outros.
Cada elemento de coesão mantém determinado tipo de relação e, por isso, é necessário atentar muito bem para o seu uso. Vejamos alguns exemplos:
“Os sem-terra fizeram um protesto em Brasília contra a política agrária do país, porque consideram injusta a atual distribuição de terras. Porém, o ministro da Agricultura considerou a manifestação um ato de rebeldia, uma vez que o projeto de Reforma Agrária pretende assentar milhares de sem-terra”
Nesse texto, os elementos de coesão foram utilizados de forma correta:
1- A palavra porque está iniciando a oração que estabelece a causa do protesto: “consideram injusta a atual distribuição de terra”.
2- A palavra porém está iniciando a oração que estabelece um contraste de idéias: protesto (para os sem-terra) X ato de rebeldia ( para o ministro).
3- A expressão uma vez que está iniciando a oração que estabelece a causa da indignação do ministro “o projeto da Reforma Agrária pretende assentar milhares de sem-terra”.
Quando se usa o elemento de coesão inadequado, o enunciado certamente fica prejudicado, pois pode não só mudar o sentido pretendido, mas também produzir idéias absurdas:
“Os sem-terra fizeram um protesto em Brasília contra a política agrária do país, porém consideram injusta a atual distribuição de terras”
Logo, para se obter um bom texto, não basta ter boas idéias. É preciso também ordená-las e cuidar da disposição das palavras nas frases, a fim de que a redação seja um conjunto harmonioso.



MECANISMOS DE COESÃO


Há vários elementos no idioma que permitem o mecanismo de coesão. Alguns deles, são:
1- Emprego adequado de tempos e modos verbais:
Ex: Embora não estivessem gostando muito, eles participavam da festa.
2- Emprego adequado de pronomes, conjunções, preposições, artigos:
Ex: O papa João Paulo II visitou o México. Na capital mexicana suaSantidade beijou o chão. As pessoas tinham a certeza de que o papa lhesguardava respeito e as amava.
3- Emprego adequado de construções por coordenação e subordinação:
Ex: “Amanhece. Poucos barulhos se ouvem. Logo mais a cidade vai ferver. Um carro aqui. Um ônibus. Duas motos. Alguém buzina duas vezes, depois três vezes, mais uma buzina insistente. A mocinha de uniforme grita pela janela que já vai. O pai na direção (deve ser um pai, porque está impaciente, de terno e gravata) tamborila os dedos na direção do carro, que não é carro do ano, logo se vê pelo ar meio baça da lataria...”
(Note que o texto foi inicialmente construído por um encadeado de orações coordenadas e depois, lentamente, foram sendo introduzidas as subordinadas.
4- Emprego adequado do discurso direto, indireto e indireto livre:
DD= “Maria Eugenia chegou cedo e perguntou:
- Paulinho já saiu?
Claudia respondeu:
- Ele ainda está dormindo”.
DI= “Maria Eugenia chegou cedo e perguntou se Paulinho já havia saído. Cláudia respondeu-lhe que ele ainda estava dormindo”.
5- Emprego adequado de vocabulário (coesão lexical):
Ex: “A China é um país fascinante, onde tudo é dimensionado em termos gigantescos. O país amarelo é uma civilização milenar. O grande dragão oriental abriga, na terceira maior extensão territorial planetária cerca de 01 bilhão e 100 mil habitantes”

FONTE: O Blog da Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário