segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Você conhece alguém que tirou 1000 na redação do ENEM?

Tirar a nota máxima na redação do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) pode parecer impossível, mas não é. A nota máxima é atribuída para aqueles que conseguem suprir completamente os requisitos exigidos em cada uma das 5 competências da redação, sendo que no ENEM de 2014, menos de 1% dos candidatos conseguiram o grande feito de tirar 1000 na redação.

Para conseguir esta conquista, os alunos precisaram de muito estudo, dedicação e entrega, mas todo o esforço foi recompensado com uma nota capaz de impulsionar sua colocação na faculdade e levá-los ao curso dos seus sonhos, permitindo sua entrada em qualquer instituição que desejem. Estes estudantes, campeões de redação deram suas dicas de como chegar lá e obter nota máxima na redação.

Dedicação e estudo
Estudar com muito afinco é o principal ingrediente para um resultado realmente satisfatório, segundo Danilo Erly, de 18 anos, estudante do Mato Grosso do Sul, que conseguiu a tão sonhada nota máxima na redação. Danilo conta que estudava até 12 horas por dia, se dedicando unicamente ao sonho de conseguir uma vaga no concorrido curso de direito. Para ele, o segredo é manter o foco no que se deseja. O aluno que quer ter uma boa nota, não pode se deixar distrair ou perder o objetivo que deseja alcançar. “O segredo é dedicação, muita dedicação, estudo, realmente, e o mais importante para uma boa redação: senso crítico, que é o que falta para a nossa juventude de hoje”, afirmou em sua entrevista, dada ao jornal da TV Morena, emissora local.

O professor Rossine Benício Rodrigos, de língua portuguesa, em entrevista para o mesmo jornal, ressaltou a dificuldade em conseguir atingir esta nota, e frisa que para conseguir o aluno deve se dedicar muito ao estudo, mas principalmente à leitura, que é a melhor forma de aprender a estrutura de construção textual, além de melhorar o vocabulário, a compreensão e a expressão.

Outro exemplo em que a dedicação total aos estudos foi essencial para conseguir a nota máxima, é o caso da estudante Paula Freire de 19 anos. Além dos estudos, ela contou com muito treino, revelando que seu segredo foi justamente este. Treinar a redação consiste justamente em produzir textos com o objetivo de se aperfeiçoar. Ninguém consegue melhorar simplesmente pela teoria, a produção textual é pratica, por isso, segundo ela, escrever e fazer redação como treino para a prova é a chave do sucesso.

Além de treinar muito, Paula ainda conta que precisou de disciplina, e que via seu namorado apenas duas vezes por semana, uma para estudar e a outra para se divertirem.

Ao todo, 250 alunos atingiram a nota máxima, sendo que não existe uma fórmula. João Pedro, que deseja cursas letras na PUC, por ser a única universidade que oferece a formação de escritor, admitiu que ao ver o tema sentiu preguiça. Ele não estudou para a redação, mas o hábito e o gosto pela escrita contaram a seu favor.

Conseguir atingir esta nota é prova de grande talento e domínio da norma escrita, uma vez que são analisados cinco critérios e todas as redações são corrigidas por três examinadores diferentes, sendo que apenas as duas notas maiores são contadas. Ao receber esta nota o candidato prova que impressionou não apenas um examinador, mas pelo menos dois deles.





Vários estudantes que conseguiram esta nota explicam que o principal é manter a calma. Nervosismo se torna o pior inimigo do candidato e faz com que ele se perca, erre ou então cometa algum deslize grave, por este motivo, estar relaxado é essencial.

Outra necessidade é ter na mente as competências exigidas, para não acabar fugindo delas. Vale lembrar que estas competências são:

Competência 1: Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita.

Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários à construção da argumentação.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Fonte Imaginie

Nenhum comentário:

Postar um comentário